Páginas

Foto do fundo: Auto-retrato - São Miguel do Oeste - SC by Alice Elaine

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Navegando...


Ai, Vida, que insiste em marear-me...
Barco que navega sobre as ondas turbulentas,
Vento que sopra o bafo carregado do mundo vão
Hálito carregado de imundície e sofrimento
Suas águas são fétidas e sujas
Não há cor no seu horizonte
Meus olhos não vêem terra por perto
Não há pássaros nos teus céus
As densas nuvens pairam sobre nossas cabeças
O ruído das cordas somam-se à tormenta
Balançam correntes como o badalo do quadril decadente
Quando há sol, queima e escalda
Quando há chuva, é desesperador
Durante a noite as estrelas se escondem
A lua nova permanece constante
O peito dói com o peso da armadura
As mãos, cortadas de tempo
Não seguram as lágrimas amargas
Mas, o que fere o corpo
Só não destrói o espírito
Então,
Eu sigo em frente, com braços firmes
Atravessando a escuridão
Partindo o caminho com fúria
Sufocando a dor com esperança
Alimentando a Alma com
Teu Amor.

Entre Meia e Devagar by Alice

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Aos Trancos e Barrancos - A Bela!!!

Sabe quando uma coisa dá errado desde o planejamento?

Tempo que falta, tempo com cara de chuva, tempo feio...

O sol não deu as caras, é, cara...

A cabeça então... doía, e não só a minha, e doía muito, mas como sempre, quem está acostumado com ela a esconde por trás do sorriso. Ignorar a dor, que já faz parte do dia-a-dia, é algo tão corriqueiro que aos outros parece que a mesma dor é charme, não existe. Quem dera...

Mas, aos trancos e barrancos, descemos a trilha até nosso alvo, a base de uma cascata de mais de 40 metros. Nosso objetivo: FOTOS!!!

A garota estava linda e maravilhosa! Maquiagem perfeita, cabelão LINDO, méritos da Adriana, uma maquiadora de mão cheia! Mas, o caminho era cruel e ameaçador, escorregadio, cheio de aranhas, teias, pedras... Havia chovido à pouco, e ainda ouvíamos o ronco de alguns trovões, a cada árvore que usávamos de apoio recebíamos aqueles respingos naturais das velhas brincadeira (de mau gosto) dos tempos da infância...

Quando chegamos, o cabelo não estava a mesma coisa, os rostos estavam todos suados, as pernas e pés sujos... o desânimo quase nos abateu... mas, eu disse QUASE!

Sem mais papo e indo ao que interessa... confira ALGUMAS fotos, com Audrey Verona...


(clique sobre as fotos para ampliar)

















E aí? Gostou?!


...

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

E aí? Já teve?

Pedreira by Alice




Como conviver com um transtorno do humor

OS TRANSTORNOS do humor são assustadoramente comuns. Só para citar um exemplo, calcula-se que mais de 330 milhões de pessoas no mundo sofrem de depressão grave, condição caracterizada por tristeza devastadora e perda de prazer em realizar as atividades diárias. Estima-se que em 20 anos, depois das doenças cardiovasculares, a depressão será a moléstia que atingirá o maior número de pessoas. Não é de admirar que, entre as doenças mentais, a depressão seja considerada ‘tão comum quanto um resfriado’.


(...)


A imprevisibilidade dos distúrbios bipolares


A depressão clínica sem dúvida é um problema difícil. Mas quando é acompanhada por períodos de euforia, a doença é chamada de distúrbio bipolar. “A única coisa previsível a respeito do distúrbio bipolar é que ele é imprevisível”, diz Lucia, que tem essa doença. Nas fases de mania, diz o The Harvard Mental Health Letter, a pessoa “pode se tornar insuportavelmente inconveniente e dominadora, e a euforia descomedida e agitada pode facilmente transformar-se em irritabilidade ou raiva”.

(...)



Diferentemente da depressão, o distúrbio bipolar parece afetar homens e mulheres na mesma proporção. Na maioria dos casos, a doença se manifesta no início da fase adulta, mas pode acometer adolescentes e até crianças. No entanto, mesmo para os especialistas, não é nada fácil analisar os sintomas e chegar a um diagnóstico correto. “O distúrbio bipolar é o camaleão dos transtornos psiquiátricos. Os sintomas variam de um paciente para outro, e o mesmo paciente pode apresentar sintomas diferentes a cada episódio”, escreve o Dr. Francis Mark Mondimore, da Universidade Johns Hopkins de Medicina. “Ele pode acometer a pessoa com melancolia profunda, desaparecer por anos, e daí atacar novamente — mas com uma euforia desmedida.”
Torna-se claro que os transtornos do humor são difíceis de diagnosticar, e conviver com eles pode ser ainda mais difícil. Mas a situação não é sem esperança.


(...)

Sintomas da depressão profunda


● Humor deprimido na maior parte do dia, quase todos os dias, por pelo menos duas semanas
● Perda de interesse em atividades que antes davam prazer
● Perda ou aumento significativo de peso
● Dormir demais ou, ao contrário, sofrer de insônia
● Rapidez ou vagarosidade fora do normal no desempenho de atividades motoras
● Fadiga excessiva, sem causa discernível
● Sentimentos de inutilidade e/ou de culpa sem fundamento
● Diminuição na capacidade de concentração
● Pensamentos recorrentes de suicídio
  Alguns desses sintomas podem também indicar distimia — uma forma de depressão branda, porém mais crônica
NOTAA lista acima se destina a fornecer uma visão geral e não servir como base para autodiagnóstico. Também, alguns dos sintomas podem ser indicativos de outras doenças além da depressão.

(Despertai 8 de janeiro de 2004, páginas 4 à 6)



Mau humor crônico é uma doença? 

De acordo com a revista Veja, cerca de 4% da população do mundo sofre de mau humor crônico (ou DISTIMIA), que é fruto de uma disfunção química. O médico Táki Cordás, professor de psiquiatria da Universidade de São Paulo e representante da campanha da OMS de esclarecimento desse distúrbio no Brasil, explica que alguns tendem a se isolar, outros ficam irritados à toa e há os que encontram no trabalho uma muleta para a vida. Ao lidar com os que sofrem de distimia crônica, o Dr. Cordás recomenda a paciência. “O tratamento é feito com o auxílio de remédios e demora.”
(Despertai! 22 de setembro de 1997, página 29)

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Onde estão?